Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Editoria D
Início do conteúdo da página
Tempo e clima

Aparelho atenderá a uma das metas do Plano Nacional de Gestão de Riscos e Alertas de Desastres Naturais

concessão

Audiência pública da Ferrovia Norte-Sul começa no dia 27 de junho

Projeto prevê a concessão do trecho de 1.537 quilômetros entre Porto Nacional (TO) a Estrela D’Oeste (SP). Investimento foi estimado em R$ 2,8 bilhões A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vai iniciar no dia 27 de junho a Audiência Pública nº 007/2017 para receber contribuições para aprimorar os estudos técnicos e as minutas do edital e do contrato de concessão da Ferrovia Norte-Sul (FNS), trecho do Porto Nacional (TO) a Estrela D’Oeste (SP). Os documentos referentes à concessão estarão disponíveis na página da agência na internet. Os interessados podem encaminhar as sugestões até as 18h do dia 11 de agosto de 2017, por meio de formulário eletrônico, que será disponibilizado no site da ANTT, e/ou participar das sessões que acontecerão em Palmas (TO), Goiânia (GO), Uberlândia (MG), São Paulo (SP) e Brasília (DF). O projeto faz parte dos empreendimentos anunciados, em 2016, pelo Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal. Segundo os estudos da ANTT, o investimento estimado é de R$ 2,8 bilhões e estão associados à aquisição de material rodante, correspondendo a acerca 85,2% do que está previsto. O processo de licitação será na modalidade de leilão e vence a empresa que der o maior valor de outorga. A publicação do edital deverá ocorrer até o fim de 2017, e a realização do leilão, no início de 2018. VALEC - Atualmente, parte da FNS é concedida à empresa pública Valec Engenharia, Construções e Ferrovias. O trecho que será concedido tem 1.537 quilômetros de extensão e divide-se em dois subtrechos: Porto Nacional (TO) e Anápolis (GO), que possui 100% da infraestrutura construída, e a extensão sul, entre Ouro Verde de Goiás (GO) e Estrela D’Oeste (SP), com mais de 90% de construção concluída. Em relação ao transporte de cargas, inicialmente está prevista uma demanda de 1,2 milhão de toneladas e, em 2020, um alcance de aproximadamente 8 milhões. Ao final do período da concessão, o trecho ferroviário pode capturar uma demanda equivalente a aproximadamente 23 milhões de toneladas, com predominância das cargas gerais e dos granéis sólidos agrícolas. FERROVIA – A Ferrovia Norte-Sul foi projetada para promover a integração nacional e minimizar custos de transporte, por meio das suas conexões a ferrovias novas e existentes. É considerada a espinha dorsal do sistema ferroviário brasileiro e um dos principais projetos para escoamento da produção agrícola do país. Partindo do município de Porto Nacional, a ferrovia atravessará o estado do Tocantins e passará por Goiás, até chegar à Estrela D´Oeste, em São Paulo. Em Porto Nacional, esse trecho ferroviário conecta-se ao eixo norte da FNS, possibilitando o acesso ao Porto do Itaqui, no Maranhão, em bitola larga; e em Estrela D’Oeste estará interligada à Malha Paulista, concedida atualmente à América Latina Logística Malha Paulista (ALLMP), que possibilitará a conexão da FNS ao Porto de Santos e ao polo econômico e industrial de São Paulo, também em bitola larga. SERVIÇOSessões públicas Goiânia/GOData: 20/7Horário: das 14 às 18hEndereço: Av. Araguaia nº 702 - Centro, Hotel Plaza Inn Augustus - Sala Império Romano Palmas/TOData: 28/7Horário: das 9 às 12hEndereço: Q. 101 Norte Avenida Joaquim Teotônio Segurado, S/n - Centro, Hotel Girassol – Sala Gardênia Uberlândia/MGData: 1º/8Horário: das 14 às 18hEndereço: Av. Rondon Pacheco, 3500 - Santa Maria, Hotel San Diego - Sala Diamond Arch São Paulo/SPData: 3/8Horário: das 14 às 18hEndereço: Rua Martins Fontes, 330, 1º andar Piso Convenção - Bairro Consolação, BrastonHotel São Paulo - Salão Turmalina CDE Brasília/DFData: 7/8Horário: das 14 às 18hEndereço: SCES Trecho 03, lote 10, Projeto Polo Orla 08, Auditório Eliseu Resende do edifício-sede da ANTT *Com informações da ANTT Assessoria de ComunicaçãoMinistério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

CARGAS

Termina dia 30 novo prazo de recadastramento para veículos inscritos no RNTRC

Mais de um milhão de veículos ainda precisam fazer o recadastramento obrigatório para todos que desejam continuar operando no mercado A partir do dia 1º de julho, quem circular sem o adesivo pode ser autuado conforme a Resolução nº 3745/2011 da ANTT, que prevê multas de até R$ 1,5 mil. Termina em 30 de junho o novo prazo dado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para o recadastramento de caminhões de carga inscritos no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC). O prazo anterior era 31 de maio, mas foi reaberto porque o recadastramento só é válido para os veículos que vincularam o código do adesivo de identificação à sua placa. Sem essa vinculação, o recadastramento é considerado incompleto e deve ser refeito nos postos de atendimento do RNTRC. O recadastramento é obrigatório a todos os transportadores já registrados e que desejam continuar operando no mercado. A partir do dia 1º de julho, quem circular sem o adesivo pode ser autuado conforme a Resolução nº 3745/2011 da ANTT, que prevê multas de até R$ 1,5 mil. A Agência alerta que mais de um milhão de veículos da frota nacional ainda não tiveram suas informações no RNTRC. Atualmente, o Brasil conta com uma frota de 1.664.516 caminhões, divididos em tipo de transportador: autônomo (541.284), empresa (1.100.299) e cooperativa (22.933). Os dados da identificação eletrônica dos veículos são essenciais para fomento e planejamento de políticas públicas no setor. O recadastramento é uma das três etapas do processo de identificação eletrônica que possibilitará a coleta de informações reais sobre a movimentação de cargas nas rodovias brasileiras; a origem e o destino das viagens realizadas; e os fretes praticados. A última dessas etapas é a TAG, uma chave eletrônica associada à identificação do veículo e do transportador, que transmite dados para ANTT por meio das antenas instaladas nas rodovias que coletam as informações. Nestes pontos de registro de passagem, além das antenas, serão instaladas câmeras de leitura eletrônica de caracteres para identificação das placas dos veículos.(Conheça abaixo as três etapas da identificação eletrônica.)GRATUIDADE – A ANTT informa que não há valor devido ou a ser pago pelos serviços de cadastramento, ajuste de dados, aquisição do adesivo, recadastramento da inscrição e manutenção no cadastro no RNTRC, embora algumas entidades conveniadas possam cobrar de seus filiados, a título de ressarcimento pela prestação de serviços e disponibilização de materiais. O procedimento é realizado em três etapas: 1 – Cadastro e renovação de informações em ponto de atendimento credenciado: O cronograma de recadastramento teve início em 2015 e terminou no último dia 31 de maio. A ANTT estendeu até o próximo dia 30 de junho o prazo de recadastramento para quem não o fez ou o fez, mas sem vincular o código do adesivo de identificação à sua placa. A vinculação do código do adesivo QR-Code, no sistema do RNTRC, ao veículo é indispensável para que o recadastramento seja considerado completo. A partir de 1º de julho, quem circular sem o adesivo será autuado conforme prevê a Resolução nº 3745/2011. 2 – Identificação visual dos veículos:Os veículos são identificados por adesivos com o número e a logo da ANTT combinados ao QR-Code. Eles são vinculados ao veículo, não aos transportadores, para não ser necessário mudá-lo a cada alteração de frota. O QR-Code permite a leitura eletrônica das informações relacionadas ao veículo no sistema do RNTRC (transportador ao qual está vinculado, tipo, arrendamento etc).O novo adesivo possui material de fabricação de maior durabilidade do que os comuns e uma faixa holográfica, características que conferem maior vida útil, autenticidade e segurança à identificação. Sua colocação é de responsabilidade do transportador. Eles deverão ser colados nas duas laterais externas de cada reboque ou semirreboque e nas laterais das cabines de cada veículo automotor. 3 – Identificação eletrônica dos veículos (TAG):A ANTT e a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) apresentaram, no início de junho, em Cubatão (SP), o piloto de instalação da TAG, dispositivo de identificação eletrônica obrigatório para veículos automotores de cargas cadastrados no RNTRC. Com base nestes resultados, previstos para outubro que vem, a ANTT vai propor um cronograma de instalação da TAG na frota nacional cadastrada no RNTRC.Mais informações podem ser obtidas junto à ANTT pelo telefone 166 ou pelo e-mail ouvidoria@antt.gov.br   Fonte: ANTT Assessoria de ComunicaçãoMinistério dos Transportes, Portos e Aviação Civil  

Le Bourget

Ministro apresenta na França oportunidades para investidores estrangeiros

Seminário organizado pelo governo brasileiro vai tratar do novo marco legal para aviação e novos investimentos. A reunião acontece no Salão Internacional da Aeronáutica de Paris – Le Bourget, de hoje a 25 de junho O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, participa esta semana do Salão Internacional da Aeronáutica de Paris – Le Bourget, que acontece entre os dias 19 e 25 de junho, na França. Além do evento, o ministro vai ter uma série de encontros inclusive com a ministra dos Transportes da França, Elizabeth Borne, e com o presidente da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, sigla em inglês). A Le Bourget é uma feira internacional voltada para negócios relacionados à indústria aeroespacial e é considerada a maior feira do mundo no setor aéreo. Durante a visita à capital francesa, o governo brasileiro organizou um seminário para apresentar o “Novo marco legal para companhias aéreas e oportunidades de investimentos no Brasil”. A proposta é mostrar as recentes alterações realizadas no País, como as novas condições gerais de transporte aéreo (CGTA), que inclui a desregulamentação da franquia de bagagem despachada, por exemplo. E a abertura de capital das empresas aéreas, atualmente em debate no Congresso. A comitiva brasileira que participa da Le Bourget é formada por dez pessoas: o ministro, o secretário Nacional de Aviação Civil, Dario Lopes; o presidente da Infraero, Antônio Claret; o diretor presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), José Ricardo Botelho; superintendentes da Anac, e representante da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). Assessoria de ComunicaçãoMinistério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

chapéu por título alternativo

Aparelho atenderá a uma das metas do Plano Nacional de Gestão de Riscos e Alertas de Desastres Naturais

Módulo de manchete lateral

Tempo e clima

Ministério inaugura radar meteorológico em Natal (RN)

Aparelho atenderá a uma das metas do Plano Nacional de Gestão de Riscos e Alertas de Desastres Naturais

concessão

Audiência pública da Ferrovia Norte-Sul começa no dia 27 de junho

Projeto prevê a concessão do trecho de 1.537 quilômetros entre Porto Nacional (TO) a Estrela D’Oeste (SP). Investimento foi estimado em R$ 2,8 bilhões A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vai iniciar no dia 27 de junho a Audiência Pública nº 007/2017 para receber contribuições para aprimorar os estudos técnicos e as minutas do edital e do contrato de concessão da Ferrovia Norte-Sul (FNS), trecho do Porto Nacional (TO) a Estrela D’Oeste (SP). Os documentos referentes à concessão estarão disponíveis na página da agência na internet. Os interessados podem encaminhar as sugestões até as 18h do dia 11 de agosto de 2017, por meio de formulário eletrônico, que será disponibilizado no site da ANTT, e/ou participar das sessões que acontecerão em Palmas (TO), Goiânia (GO), Uberlândia (MG), São Paulo (SP) e Brasília (DF). O projeto faz parte dos empreendimentos anunciados, em 2016, pelo Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal. Segundo os estudos da ANTT, o investimento estimado é de R$ 2,8 bilhões e estão associados à aquisição de material rodante, correspondendo a acerca 85,2% do que está previsto. O processo de licitação será na modalidade de leilão e vence a empresa que der o maior valor de outorga. A publicação do edital deverá ocorrer até o fim de 2017, e a realização do leilão, no início de 2018. VALEC - Atualmente, parte da FNS é concedida à empresa pública Valec Engenharia, Construções e Ferrovias. O trecho que será concedido tem 1.537 quilômetros de extensão e divide-se em dois subtrechos: Porto Nacional (TO) e Anápolis (GO), que possui 100% da infraestrutura construída, e a extensão sul, entre Ouro Verde de Goiás (GO) e Estrela D’Oeste (SP), com mais de 90% de construção concluída. Em relação ao transporte de cargas, inicialmente está prevista uma demanda de 1,2 milhão de toneladas e, em 2020, um alcance de aproximadamente 8 milhões. Ao final do período da concessão, o trecho ferroviário pode capturar uma demanda equivalente a aproximadamente 23 milhões de toneladas, com predominância das cargas gerais e dos granéis sólidos agrícolas. FERROVIA – A Ferrovia Norte-Sul foi projetada para promover a integração nacional e minimizar custos de transporte, por meio das suas conexões a ferrovias novas e existentes. É considerada a espinha dorsal do sistema ferroviário brasileiro e um dos principais projetos para escoamento da produção agrícola do país. Partindo do município de Porto Nacional, a ferrovia atravessará o estado do Tocantins e passará por Goiás, até chegar à Estrela D´Oeste, em São Paulo. Em Porto Nacional, esse trecho ferroviário conecta-se ao eixo norte da FNS, possibilitando o acesso ao Porto do Itaqui, no Maranhão, em bitola larga; e em Estrela D’Oeste estará interligada à Malha Paulista, concedida atualmente à América Latina Logística Malha Paulista (ALLMP), que possibilitará a conexão da FNS ao Porto de Santos e ao polo econômico e industrial de São Paulo, também em bitola larga. SERVIÇOSessões públicas Goiânia/GOData: 20/7Horário: das 14 às 18hEndereço: Av. Araguaia nº 702 - Centro, Hotel Plaza Inn Augustus - Sala Império Romano Palmas/TOData: 28/7Horário: das 9 às 12hEndereço: Q. 101 Norte Avenida Joaquim Teotônio Segurado, S/n - Centro, Hotel Girassol – Sala Gardênia Uberlândia/MGData: 1º/8Horário: das 14 às 18hEndereço: Av. Rondon Pacheco, 3500 - Santa Maria, Hotel San Diego - Sala Diamond Arch São Paulo/SPData: 3/8Horário: das 14 às 18hEndereço: Rua Martins Fontes, 330, 1º andar Piso Convenção - Bairro Consolação, BrastonHotel São Paulo - Salão Turmalina CDE Brasília/DFData: 7/8Horário: das 14 às 18hEndereço: SCES Trecho 03, lote 10, Projeto Polo Orla 08, Auditório Eliseu Resende do edifício-sede da ANTT *Com informações da ANTT Assessoria de ComunicaçãoMinistério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

CARGAS

Termina dia 30 novo prazo de recadastramento para veículos inscritos no RNTRC

Mais de um milhão de veículos ainda precisam fazer o recadastramento obrigatório para todos que desejam continuar operando no mercado A partir do dia 1º de julho, quem circular sem o adesivo pode ser autuado conforme a Resolução nº 3745/2011 da ANTT, que prevê multas de até R$ 1,5 mil. Termina em 30 de junho o novo prazo dado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para o recadastramento de caminhões de carga inscritos no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC). O prazo anterior era 31 de maio, mas foi reaberto porque o recadastramento só é válido para os veículos que vincularam o código do adesivo de identificação à sua placa. Sem essa vinculação, o recadastramento é considerado incompleto e deve ser refeito nos postos de atendimento do RNTRC. O recadastramento é obrigatório a todos os transportadores já registrados e que desejam continuar operando no mercado. A partir do dia 1º de julho, quem circular sem o adesivo pode ser autuado conforme a Resolução nº 3745/2011 da ANTT, que prevê multas de até R$ 1,5 mil. A Agência alerta que mais de um milhão de veículos da frota nacional ainda não tiveram suas informações no RNTRC. Atualmente, o Brasil conta com uma frota de 1.664.516 caminhões, divididos em tipo de transportador: autônomo (541.284), empresa (1.100.299) e cooperativa (22.933). Os dados da identificação eletrônica dos veículos são essenciais para fomento e planejamento de políticas públicas no setor. O recadastramento é uma das três etapas do processo de identificação eletrônica que possibilitará a coleta de informações reais sobre a movimentação de cargas nas rodovias brasileiras; a origem e o destino das viagens realizadas; e os fretes praticados. A última dessas etapas é a TAG, uma chave eletrônica associada à identificação do veículo e do transportador, que transmite dados para ANTT por meio das antenas instaladas nas rodovias que coletam as informações. Nestes pontos de registro de passagem, além das antenas, serão instaladas câmeras de leitura eletrônica de caracteres para identificação das placas dos veículos.(Conheça abaixo as três etapas da identificação eletrônica.)GRATUIDADE – A ANTT informa que não há valor devido ou a ser pago pelos serviços de cadastramento, ajuste de dados, aquisição do adesivo, recadastramento da inscrição e manutenção no cadastro no RNTRC, embora algumas entidades conveniadas possam cobrar de seus filiados, a título de ressarcimento pela prestação de serviços e disponibilização de materiais. O procedimento é realizado em três etapas: 1 – Cadastro e renovação de informações em ponto de atendimento credenciado: O cronograma de recadastramento teve início em 2015 e terminou no último dia 31 de maio. A ANTT estendeu até o próximo dia 30 de junho o prazo de recadastramento para quem não o fez ou o fez, mas sem vincular o código do adesivo de identificação à sua placa. A vinculação do código do adesivo QR-Code, no sistema do RNTRC, ao veículo é indispensável para que o recadastramento seja considerado completo. A partir de 1º de julho, quem circular sem o adesivo será autuado conforme prevê a Resolução nº 3745/2011. 2 – Identificação visual dos veículos:Os veículos são identificados por adesivos com o número e a logo da ANTT combinados ao QR-Code. Eles são vinculados ao veículo, não aos transportadores, para não ser necessário mudá-lo a cada alteração de frota. O QR-Code permite a leitura eletrônica das informações relacionadas ao veículo no sistema do RNTRC (transportador ao qual está vinculado, tipo, arrendamento etc).O novo adesivo possui material de fabricação de maior durabilidade do que os comuns e uma faixa holográfica, características que conferem maior vida útil, autenticidade e segurança à identificação. Sua colocação é de responsabilidade do transportador. Eles deverão ser colados nas duas laterais externas de cada reboque ou semirreboque e nas laterais das cabines de cada veículo automotor. 3 – Identificação eletrônica dos veículos (TAG):A ANTT e a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) apresentaram, no início de junho, em Cubatão (SP), o piloto de instalação da TAG, dispositivo de identificação eletrônica obrigatório para veículos automotores de cargas cadastrados no RNTRC. Com base nestes resultados, previstos para outubro que vem, a ANTT vai propor um cronograma de instalação da TAG na frota nacional cadastrada no RNTRC.Mais informações podem ser obtidas junto à ANTT pelo telefone 166 ou pelo e-mail ouvidoria@antt.gov.br   Fonte: ANTT Assessoria de ComunicaçãoMinistério dos Transportes, Portos e Aviação Civil  

Le Bourget

Ministro apresenta na França oportunidades para investidores estrangeiros

Seminário organizado pelo governo brasileiro vai tratar do novo marco legal para aviação e novos investimentos. A reunião acontece no Salão Internacional da Aeronáutica de Paris – Le Bourget, de hoje a 25 de junho O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, participa esta semana do Salão Internacional da Aeronáutica de Paris – Le Bourget, que acontece entre os dias 19 e 25 de junho, na França. Além do evento, o ministro vai ter uma série de encontros inclusive com a ministra dos Transportes da França, Elizabeth Borne, e com o presidente da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, sigla em inglês). A Le Bourget é uma feira internacional voltada para negócios relacionados à indústria aeroespacial e é considerada a maior feira do mundo no setor aéreo. Durante a visita à capital francesa, o governo brasileiro organizou um seminário para apresentar o “Novo marco legal para companhias aéreas e oportunidades de investimentos no Brasil”. A proposta é mostrar as recentes alterações realizadas no País, como as novas condições gerais de transporte aéreo (CGTA), que inclui a desregulamentação da franquia de bagagem despachada, por exemplo. E a abertura de capital das empresas aéreas, atualmente em debate no Congresso. A comitiva brasileira que participa da Le Bourget é formada por dez pessoas: o ministro, o secretário Nacional de Aviação Civil, Dario Lopes; o presidente da Infraero, Antônio Claret; o diretor presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), José Ricardo Botelho; superintendentes da Anac, e representante da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). Assessoria de ComunicaçãoMinistério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Módulo de manchete lateral - outro exemplo

Ministério inaugura radar meteorológico em Natal (RN)

Aparelho atenderá a uma das metas do Plano Nacional de Gestão de Riscos e Alertas de Desastres Naturais

Audiência pública da Ferrovia Norte-Sul começa no dia 27 de junho

Projeto prevê a concessão do trecho de 1.537 quilômetros entre Porto Nacional (TO) a Estrela D’Oeste (SP). Investimento foi estimado em R$ 2,8 bilhões A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vai iniciar no dia 27 de junho a Audiência Pública nº 007/2017 para receber contribuições para aprimorar os estudos técnicos e as minutas do edital e do contrato de concessão da Ferrovia Norte-Sul (FNS), trecho do Porto Nacional (TO) a Estrela D’Oeste (SP). Os documentos referentes à concessão estarão disponíveis na página da agência na internet. Os interessados podem encaminhar as sugestões até as 18h do dia 11 de agosto de 2017, por meio de formulário eletrônico, que será disponibilizado no site da ANTT, e/ou participar das sessões que acontecerão em Palmas (TO), Goiânia (GO), Uberlândia (MG), São Paulo (SP) e Brasília (DF). O projeto faz parte dos empreendimentos anunciados, em 2016, pelo Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal. Segundo os estudos da ANTT, o investimento estimado é de R$ 2,8 bilhões e estão associados à aquisição de material rodante, correspondendo a acerca 85,2% do que está previsto. O processo de licitação será na modalidade de leilão e vence a empresa que der o maior valor de outorga. A publicação do edital deverá ocorrer até o fim de 2017, e a realização do leilão, no início de 2018. VALEC - Atualmente, parte da FNS é concedida à empresa pública Valec Engenharia, Construções e Ferrovias. O trecho que será concedido tem 1.537 quilômetros de extensão e divide-se em dois subtrechos: Porto Nacional (TO) e Anápolis (GO), que possui 100% da infraestrutura construída, e a extensão sul, entre Ouro Verde de Goiás (GO) e Estrela D’Oeste (SP), com mais de 90% de construção concluída. Em relação ao transporte de cargas, inicialmente está prevista uma demanda de 1,2 milhão de toneladas e, em 2020, um alcance de aproximadamente 8 milhões. Ao final do período da concessão, o trecho ferroviário pode capturar uma demanda equivalente a aproximadamente 23 milhões de toneladas, com predominância das cargas gerais e dos granéis sólidos agrícolas. FERROVIA – A Ferrovia Norte-Sul foi projetada para promover a integração nacional e minimizar custos de transporte, por meio das suas conexões a ferrovias novas e existentes. É considerada a espinha dorsal do sistema ferroviário brasileiro e um dos principais projetos para escoamento da produção agrícola do país. Partindo do município de Porto Nacional, a ferrovia atravessará o estado do Tocantins e passará por Goiás, até chegar à Estrela D´Oeste, em São Paulo. Em Porto Nacional, esse trecho ferroviário conecta-se ao eixo norte da FNS, possibilitando o acesso ao Porto do Itaqui, no Maranhão, em bitola larga; e em Estrela D’Oeste estará interligada à Malha Paulista, concedida atualmente à América Latina Logística Malha Paulista (ALLMP), que possibilitará a conexão da FNS ao Porto de Santos e ao polo econômico e industrial de São Paulo, também em bitola larga. SERVIÇOSessões públicas Goiânia/GOData: 20/7Horário: das 14 às 18hEndereço: Av. Araguaia nº 702 - Centro, Hotel Plaza Inn Augustus - Sala Império Romano Palmas/TOData: 28/7Horário: das 9 às 12hEndereço: Q. 101 Norte Avenida Joaquim Teotônio Segurado, S/n - Centro, Hotel Girassol – Sala Gardênia Uberlândia/MGData: 1º/8Horário: das 14 às 18hEndereço: Av. Rondon Pacheco, 3500 - Santa Maria, Hotel San Diego - Sala Diamond Arch São Paulo/SPData: 3/8Horário: das 14 às 18hEndereço: Rua Martins Fontes, 330, 1º andar Piso Convenção - Bairro Consolação, BrastonHotel São Paulo - Salão Turmalina CDE Brasília/DFData: 7/8Horário: das 14 às 18hEndereço: SCES Trecho 03, lote 10, Projeto Polo Orla 08, Auditório Eliseu Resende do edifício-sede da ANTT *Com informações da ANTT Assessoria de ComunicaçãoMinistério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Termina dia 30 novo prazo de recadastramento para veículos inscritos no RNTRC

Mais de um milhão de veículos ainda precisam fazer o recadastramento obrigatório para todos que desejam continuar operando no mercado A partir do dia 1º de julho, quem circular sem o adesivo pode ser autuado conforme a Resolução nº 3745/2011 da ANTT, que prevê multas de até R$ 1,5 mil. Termina em 30 de junho o novo prazo dado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para o recadastramento de caminhões de carga inscritos no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC). O prazo anterior era 31 de maio, mas foi reaberto porque o recadastramento só é válido para os veículos que vincularam o código do adesivo de identificação à sua placa. Sem essa vinculação, o recadastramento é considerado incompleto e deve ser refeito nos postos de atendimento do RNTRC. O recadastramento é obrigatório a todos os transportadores já registrados e que desejam continuar operando no mercado. A partir do dia 1º de julho, quem circular sem o adesivo pode ser autuado conforme a Resolução nº 3745/2011 da ANTT, que prevê multas de até R$ 1,5 mil. A Agência alerta que mais de um milhão de veículos da frota nacional ainda não tiveram suas informações no RNTRC. Atualmente, o Brasil conta com uma frota de 1.664.516 caminhões, divididos em tipo de transportador: autônomo (541.284), empresa (1.100.299) e cooperativa (22.933). Os dados da identificação eletrônica dos veículos são essenciais para fomento e planejamento de políticas públicas no setor. O recadastramento é uma das três etapas do processo de identificação eletrônica que possibilitará a coleta de informações reais sobre a movimentação de cargas nas rodovias brasileiras; a origem e o destino das viagens realizadas; e os fretes praticados. A última dessas etapas é a TAG, uma chave eletrônica associada à identificação do veículo e do transportador, que transmite dados para ANTT por meio das antenas instaladas nas rodovias que coletam as informações. Nestes pontos de registro de passagem, além das antenas, serão instaladas câmeras de leitura eletrônica de caracteres para identificação das placas dos veículos.(Conheça abaixo as três etapas da identificação eletrônica.)GRATUIDADE – A ANTT informa que não há valor devido ou a ser pago pelos serviços de cadastramento, ajuste de dados, aquisição do adesivo, recadastramento da inscrição e manutenção no cadastro no RNTRC, embora algumas entidades conveniadas possam cobrar de seus filiados, a título de ressarcimento pela prestação de serviços e disponibilização de materiais. O procedimento é realizado em três etapas: 1 – Cadastro e renovação de informações em ponto de atendimento credenciado: O cronograma de recadastramento teve início em 2015 e terminou no último dia 31 de maio. A ANTT estendeu até o próximo dia 30 de junho o prazo de recadastramento para quem não o fez ou o fez, mas sem vincular o código do adesivo de identificação à sua placa. A vinculação do código do adesivo QR-Code, no sistema do RNTRC, ao veículo é indispensável para que o recadastramento seja considerado completo. A partir de 1º de julho, quem circular sem o adesivo será autuado conforme prevê a Resolução nº 3745/2011. 2 – Identificação visual dos veículos:Os veículos são identificados por adesivos com o número e a logo da ANTT combinados ao QR-Code. Eles são vinculados ao veículo, não aos transportadores, para não ser necessário mudá-lo a cada alteração de frota. O QR-Code permite a leitura eletrônica das informações relacionadas ao veículo no sistema do RNTRC (transportador ao qual está vinculado, tipo, arrendamento etc).O novo adesivo possui material de fabricação de maior durabilidade do que os comuns e uma faixa holográfica, características que conferem maior vida útil, autenticidade e segurança à identificação. Sua colocação é de responsabilidade do transportador. Eles deverão ser colados nas duas laterais externas de cada reboque ou semirreboque e nas laterais das cabines de cada veículo automotor. 3 – Identificação eletrônica dos veículos (TAG):A ANTT e a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) apresentaram, no início de junho, em Cubatão (SP), o piloto de instalação da TAG, dispositivo de identificação eletrônica obrigatório para veículos automotores de cargas cadastrados no RNTRC. Com base nestes resultados, previstos para outubro que vem, a ANTT vai propor um cronograma de instalação da TAG na frota nacional cadastrada no RNTRC.Mais informações podem ser obtidas junto à ANTT pelo telefone 166 ou pelo e-mail ouvidoria@antt.gov.br   Fonte: ANTT Assessoria de ComunicaçãoMinistério dos Transportes, Portos e Aviação Civil  

Ministro apresenta na França oportunidades para investidores estrangeiros

Seminário organizado pelo governo brasileiro vai tratar do novo marco legal para aviação e novos investimentos. A reunião acontece no Salão Internacional da Aeronáutica de Paris – Le Bourget, de hoje a 25 de junho O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, participa esta semana do Salão Internacional da Aeronáutica de Paris – Le Bourget, que acontece entre os dias 19 e 25 de junho, na França. Além do evento, o ministro vai ter uma série de encontros inclusive com a ministra dos Transportes da França, Elizabeth Borne, e com o presidente da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, sigla em inglês). A Le Bourget é uma feira internacional voltada para negócios relacionados à indústria aeroespacial e é considerada a maior feira do mundo no setor aéreo. Durante a visita à capital francesa, o governo brasileiro organizou um seminário para apresentar o “Novo marco legal para companhias aéreas e oportunidades de investimentos no Brasil”. A proposta é mostrar as recentes alterações realizadas no País, como as novas condições gerais de transporte aéreo (CGTA), que inclui a desregulamentação da franquia de bagagem despachada, por exemplo. E a abertura de capital das empresas aéreas, atualmente em debate no Congresso. A comitiva brasileira que participa da Le Bourget é formada por dez pessoas: o ministro, o secretário Nacional de Aviação Civil, Dario Lopes; o presidente da Infraero, Antônio Claret; o diretor presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), José Ricardo Botelho; superintendentes da Anac, e representante da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). Assessoria de ComunicaçãoMinistério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Fim do conteúdo da página
>